quarta-feira, 7 de abril de 2021

Videodrome - A síndrome do vídeo

 

 Quando o Big Brother deixa de ser o grande, totalitário e fictício personagem do livro 1984, e vira o programa mais assistido e comentado do país, vemos que já vivemos parte dos fatos descritos em livros e filmes com futuros distópicos, onde todos são vigiados e manipulados por matérias e propagandas personalizadas. 
 Max é o dono de um pequeno canal pornográfico, que por acidente capta o sinal do Videodrome, que são videos de pessoas sendo torturadas e mortas. Estes vídeos causam um fascínio em Max, que fica obcecado em descobrir quem os produz, mesmo depois de perceber que eles geram alucinações que distorcem a realidade.
 David Cronenberg novamente demonstra a obsessiva busca ao prazer a qualquer custo, através do uso das afrontas e das mesclas do artificial ao humano, mas desta vez a previsão não poderia estar mais certa: um consumo desenfreado de tecnologia que acaba por nos consumir.
 Se você nunca assistiu um filme do Cronenberg, esteja avisado de que eles sempre abordam temas bizarros, com cenas nojentas e surreais. Então se você se incomoda em ver tripas, pus, gosmas, órgãos sendo explodidos e sangue espirrando para todos os lados, é preferível que você não assista à este filme.

Direção: David Cronenberg
País: Canadá
Ano: 1983
Minha nota: 8.5

2 comentários:

  1. Olá!!! Tô adorando esse blog...entrei pra ver enter the void e já achei outros titulos incriveis...
    Tenho uma sugestão que acabei de achar, chama " Daniel isn´t real" vc já viu? Fiquei curiosa...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Joy, fico feliz que tenha gostado dos filmes. Eu já assisti Daniel isn't real, achei bem interessante. Ele já está na minha lista de filmes para postar no blog, em breve eu o colocarei. Abraços!

      Excluir