domingo, 24 de abril de 2016

A bruxa - The witch




 Eu ouvi muitos elogios sobre esse filme e resolvi assisti-lo, sem muita esperança, achando que seria mais uma daquelas propagandas extremamente enganosas sobre filmes de terror, e tive uma das maiores surpresas cinematográficas da minha vida.
 Esse não é um filme de "terror", não tem cenas violentas ou visualmente chocantes, você não tomará sustos, mas a qualidade em todos os quesitos colocou esse filme entre os melhores filmes de horror dos últimos tempos.
 A bruxa conta a história de uma família na Nova Inglaterra de 1600, que depois de ser expulsa de sua comunidade (o motivo não nos foi apresentado), foi morar em um local afastado, de frente para uma floresta sinistra. Logo ao chegarem já começam a acontecer coisas bizarras, o bebê da família some, a plantação apodrece e eu nem vou comentar sobre os animais estranhíssimos do filme (nunca mais conseguirei achar um coelho fofo), e a suspeita de bruxaria cai sobre a irmã mais velha Thomasin, que é maravilhosamente bem interpretada pela Anya Taylor Joy, que nem precisava de falas, pois ela consegue demonstrar completamente tudo com o olhar. Aliás, todos os personagens são muito bem interpretados, até os animais (os quais prefiro não comentar pra não cometer spoilers).
 O filme é cheio de detalhes sombrios, e o roteiro nos faz mudar de opinião várias vezes sobre o desfecho final. O clima de horror é implantado lentamente, tudo até o meio do filme é muito sútil, porque da metade adiante você percebe que o mal estava a espreita há muito tempo e que aquela família está abandonada a própria sorte, pois nenhum deus habita naquela floresta para ouvir suas preces.
 Obs: Se você acha que Jogos mortais é um clássico do terror, se nunca conseguiu assistir um filme do Hitchcock até o final e não entende porque muita gente adora O bebê de Rosemary, nem perca seu tempo dando play. Esse é um filme totalmente artístico, se você gosta de filme só pelos sustos e pelos peitos normalmente exibidos nesse tipo de filme você encontrará muitas opções em sites famosos de filmes online

Destaques:


  •  Tecnicamente impecável. A fotografia cinzenta vai ficando nitidamente cada vez mais escura com o evoluir da tensão do filme e a trilha sonora é perfeita, ela te envolve completamente na trama.
  • A direção do estreante Robert Eggers.

Direção: Robert Eggers
Ano: 2015
País de origem: Estados Unidos da América
Minha nota: 10/10